Renascer

Sim, eu sumi.

Aconteceu bastante coisa nos últimos meses. Coisas meio pesadas.

Primeiro, fui operado de emergência. Risos.

Lá em 2009 descobri que tinha cálculos biliares (ou “pedras na vesícula”). Nunca tinha sofrido com isso até uns dois anos atrás, quando cada refeição começou a ser seguida por um momento de tensão que, por sua vez, podia ou não virar uma cólica monstruosa. Comecei dieta em 2016 mas nada parecia ajudar. Aí na virada de abril pra maio tive uma crise que durou dias e acabei tendo que ser operado de emergência. A maldita vesícula inflamou e não tinha mais jeito. Teve que ser extraída na marra, junto com meia dúzia de pedras de uns dois centímetros cada (!).

Tenso foi voltar aos shows menos de duas semanas depois, numa mini-maratona de três shows em dois dias com o Radiohead Cover Brasil que envolveu até mesmo nossa estreia na Virada Cultural. Isso sem poder carregar peso nem me esforçar muito. Fácil falar.

O lado bom: meio que renasci.

As crises e cólicas sumiram. Cicatrizei rápido. A acne da pele melhorou. Emagreci. E o melhor: consigo comer de tudo (risos).

Se não morri naquele fim de semana, não morro tão cedo.

————

No mundo autoral, aquela velha crise de consciência criativa resolveu voltar das trevas.

No livro dela, a Amanda Palmer chama isso de “polícia da fraude” (aquela sensação de que um dia um grupo de homens de terno e óculos escuros vai bater na sua porta e te proibir de continuar a fazer arte porque você é uma fraude e não merece continuar fazendo arte). Ou seja, cheguei num momento de duvidar de tudo que estou fazendo. De novo. Foi barra, durou um bom tempo. Rasguei papéis. Quis desencanar de tudo.

Finalmente, nos últimos dias parece que consegui despistar a polícia e progredi bastante em umas músicas meio barulhentas. E já tenho planos pra entrar em estúdio muito em breve, com essas duas ou com outras (as que ficarem prontas primeiro). Cruzem os dedos.

————

Enquanto isso, lado produtor à toda.

De um lado, a Musidora se prepara pra entrar em estúdio com as músicas que estamos trabalhando desde o começo do ano. Temos uma faixa de trabalho bem forte. Vai ficar bonito!

Do outro, os vocais finais do disco do Ricardo Alves estão começando a ser gravados. Quase quatro anos de trabalho, mas tamos quase lá. Tá um trabalho poderoso!

E dos dois lados, euzinho indo atrás de mais projetos pra produzir (quem quiser, só entrar em contato).

————

Domingo agora (25) vou cantar System Of A Down no show do SSD, banda de new metal do Polak (meu brother e baterista na turnê do Tremor). A banda é linda e tá lançando um disco fodão.

No quesito voz, não tenho os guturais mas tenho aquela coisa meio operística. É ver pra crer. Mais infos AQUI.

————

Voltando ao Radiohead Cover Brasil, dia 1º agora (sábado) tem B Music Bar, aqui em Sampa, e em outubro tem especial 10 anos de In Rainbows (mais info, fiquem de olho na página).

————

I will survive.

Hey hey.

Gui

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s